Credito Pessoal – Guia Completo

June 17th, 2011 by admin Leave a reply »

Tudo sobre o seu financiamento numa só pagina

O credito pessoal é uma das modalidades de financiamento ao consumo disponibilizado pelos bancos para compra a dos mais diversos bens e serviços. É possível comprar seja o que for com um credito deste tipo, pode pensar em usá-lo para umas belas férias, para um electrodoméstico, para saúde, móveis, etc.

Comummente, num banco vai-lhe ser exigida uma garantia pessoal (regra geral, uma livrança) e depois o dinheiro é depositado numa conta á ordem para uma posterior utilização. A taxa de juro é muitas vezes determinada pelo seu grau de envolvimento com o banco, quantos mais produtos do banco você adquirir e quanto melhor for o seu histórico como pagador, melhor será a taxa que o banco lhe apresentará.

Neste tipo de produtos  precisa de prestar atenção aos seguintes pontos:

  • Taxas de juro
  • Prazo
  • Montantes disponibilizados
  • Comissões
  • Garantias
  • Seguros
  • Fiscalidade

Taxas de juro:

As taxas de juro são o principal factor de comparação, mas se quer achar o melhor credito pessoal para a sua situação terá que avaliar todos os factores e não apenas este. A taxa de juro pode ser fixa ou variável, sendo mais comum neste tipo de creditos  a taxa fixa. Noutro tipo de emprestimos , como o credito habitação é quase regra a taxa de juro ser variável, indexado á Euribor..
Normalmente, os bancos estabelecem um valor base para a taxa de juro geral, depois  dependendo do seu envolvimento com o banco e mediante a confiança que o banco tem em si, pode baixar. Alguns produtos que normalmente fazem baixar a taxa de juro são:

  • Domiciliação do ordenado numa conta á ordem
  • Ordens de pagamento Permanentes (água, luz, telefone, gás, etc.).
  • Credito Habitação
  • Ordens de pagamento permanentes
  • PPR´s
  • Subscrição de fundos de investimento
  • Seguros
  • E claro, um património financeiro elevado depositado no banco (mas para isso já não necessitaria muito do crédito não é?).

Ao negociar o seu credito pessoal, provavelmente irão-lhe sugerir alguns deste produtos, só uma análise detalhada sua lhe poderá dizer se compensa ou não a sua subscrição.
Se pensa que na taxa variável o mesmo não sucede engana-se, pois um emprestimo pessoal com taxa de juro variável, tem uma parte que é variável e outra parte que é fixa, o conhecido “spread” e esse pode ser negociado e reduzido mediante uma boa conversa com o seu gestor bancário.
Hoje descobrir o melhor credito pessoal não é uma tarefa fácil, pois como conseguir as melhores taxas podemos ter que avaliar a contratação de outros produtos (cross-selling bancário), tem que ser uma avaliação conjunta. Por vezes uma taxa de juro muito baixa pode trazer algo escondido. Se por exemplo, ter aquela taxa de juro que mais ninguém lhe concede, o banco lhe exige a aderência a um cartão de credito, verifique quais os encargos com esse cartão suspeito. Uma anuidade alta de um cartão  pode ser o suficiente para tornar o credito pessoal também caro.

Para saber mais sobre taxas de juro clique no link.

 

Prazos

Os prazos mais comuns no credito pessoal variam entre 6 meses a 5 anos. É possível encontrar prazos mais alargados , mas este factor está dependente da finalidade do credito. Se for para gastar em algo que não sirva de garantia de pagamento ou se desvalorize rapidamente (férias, computadores, telemóveis, etc…), não conseguirá um prazo muito extenso. Se pelo contrário está a pensar gastar o dinheiro em móveis, obras, bens duráveis, o prazo pode ascender aos 120 meses, que penso ser o limite máximo cedido pelas instituições de credito.
Mas não se atire aos longos prazos, quanto mais tempo andar a pagar um empréstimo, mais caro ele fica, mais juros terá que suportar. Analise o seu grau de endividamento e pague o seu credito pessoal no mais curto prazo possível. Esta é a solução mais acertada para a sua carteira.

Para saber mais sobre prazos no credito pessoal clique no link.

Montantes

Mais uma vez, o normal nos creditos pessoais é os financiamentos situarem-se entre os 500 e os 30.000 euros. Mas estes valores são livres, tal como nos prazos, os bancos e instituições de financiamento podem definir livremente com o cliente os valores contratados, mediante uma análise á sua finalidade.
Se precisa de um valor superior, mesmo que o banco não faça propaganda a  montantes superiores a 30.000 euros, negoceie com ele, os bancos estão sempre dispostos a emprestar dinheiro, desde que tenham algumas garantias da parte do cliente.

Para ver este tema mais desenvolvido clique em Montantes num emprestimo.

Comissões

Prepare-se para algumas surpresas nesta área, alguns bancos e instituições de financiamento cobram comissões administrativas de analise ou mesmo de abertura de processo. São conhecidas varias queixas de consumidores que pagaram uma quantia para que lhe analisassem um possível credito, e depois o credito foi recusado mas a comissão não foi devolvida. Ainda recentemente se falou muito da empresa Extra-Consumo por causa disto.
Muitas das burlas na internet no mercado financeiro baseiam-se nisto, prometem emprestar dinheiro por taxas baixíssimas mas exigem um pagamento para analise de processo, depois de receberem o dinheiro, o mais provável é nunca mais receber qualquer informação da parte destes burlões. Na sua caixa de email, provavelmente já recebeu alguns emails semelhantes.
Mas legalmente os bancos podem cobrar estas comissões num emprestimo pessoal, normalmente variam entre os 50 e os 100 euros, no caso de serem fixos. Podem também ser variáveis, e então dependem do montante que for solicitado, e podem chegar a 2% desse valor.
Tudo isto exige alguma atenção e algumas contas da sua parte, pois estes valores podem tornar um credito pessoal que á partida parecia bastante competitivo num empréstimo dispendioso.  No caso de empréstimos de valor elevado, estas comissões diluem-se mais, mas em creditos de baixo valor o seu peso relativo é muito grande.
E se o banco quiser incluir estas comissões no valor do empréstimo, pense duas vezes, apesar de lhe parecer benéfico á primeira vista pois não terá despesas iniciais tão avultadas, mas irás estar a pagar juros sobre essas comissões durante muitos meses, e pagará muito mais no fim.

Este artigo sobre ainda não está completo pois é um bocado extenso e será actualizado constantemente para que se mantenha informação util.

Advertisement

Leave a Reply